Falsos segredos, Alice Munro, 2015

Falsos segredos, Alice Munro, 2015, 320 páginas, tradução de Celina Portocarrero.

Não gostei. Estou sem paciência para contos e gostei de verdade de apenas um dos livros de contos de Munro, o primeiro que li. Os outros achei muito fracos, no geral. Neste, os contos parecem incompletos, trechos de histórias maiores. Contos que iniciam com a história de X e terminam com a história de Y. Contos preguiçosos. Parece que a maior parte dos contos se passa em uma mesma região do Canadá, as cidades de Carstairs e Walley são sempre citadas, mas em épocas diferentes e, por vezes, o mesmo sobrenome de família aparece. Arrebatada conta a história de Louisa, uma bibliotecária da cidadezinha, e dos homens que amou. O início é mais interessante que o final por relatar um amor epistolar. Uma vida de verdade conta a história de Dorrie Beck, uma mulher fechada, do campo, que se casa com um australiano graças à insistência de uma amiga. A virgem albanesa é um conto chato, relata duas histórias e fica levando o leitor de uma para a outra. Em um hospital, uma velha conta uma história que se passa no interior da Albânia. Esquisito. Falsos segredos não revela nada. Conta a história de uma menina que desaparece em um passeio de escoteiros e nunca mais se sabe dela. Inconcluso. O hotel Jack Randa conta a história do tipo de mulher que detesto: mulher que corre atrás do homem que a deixou por outra. Uma estação deserta lembra vagamente a história narrada no livro de Atwood, Vulgo Grace. Talvez por serem histórias que se passam no século xix e por acontecerem, aparentemente, na mesma região do Canadá. No conto, uma mocinha órfã é escolhida para casar com um homem que está desbravando uma região selvagem, iniciando sua propriedade. O homem é assassinado e a mocinha passa algum tempo desnorteada e em fuga, obtendo um certo tipo de redenção ao final. Interessante. Espaçonaves aterrissaram conta a história de dois rapazes e duas moças que se tornam casais, e uma das moças teve uma experiência estranha atribuída, na época, a extraterrestres. Tedioso. Vândalos é uma história sobre abuso sexual e um certo tipo de triste e inútil vingança. Até me parece agora, ao fazer o resumo, que este conto é que deveria se chamar Falsos segredos, não o outro. Cabe notar que o título original do livro não tem a palavra falso. O livro se chama, de fato, Segredos abertos, Open secrets. Nota 1 de cinco.

Vida Querida – Alice Munro

sem-titulo

Conhecia a obra de Alice Munro antes que ela ganhasse o Nobel de Literatura de 2013. Havia lido dela o Felicidade Demais. Este Vida Querida é inferior ao Felicidade. Alice Munro é contista, você sabe. Penso que o principal problema de muitos contos, não apenas os de Alice, é que eles parecem não ter um fim determinado, a história acaba de repente. Parecem precisar de mais história, mais fôlego, mais explicação. Neste Vida Querida há pelo menos cinco contos que eu chamaria sem fim. A história fica suspensa e o leitor diz ‘sim, e daí? e então? o que vai acontecer?’. Neste livro, estão presentes quatorze contos. Gostei de quatro, apenas. Apesar de tudo, recomendo a leitura, pois Alice Munro escreve bem, de forma simples e clara, e há trechos bons mesmo em contos ruins.

Aguinaldo Médici Severino também não gostou do livro. Clique aqui para ler a opinião dele.