Era uma vez uma mulher que tentou matar o bebê da vizinha, Ludmila Petruchévskaia, 2018

Era uma vez uma mulher que tentou matar o bebê da vizinha, Ludmila Petruchévskaia, 268 páginas, Companhia das Letras, 2018, tradução: Cecília Rosas.

Não gostei do livro e não recomendo.

É um livro de histórias curtas, a maior parte delas, embora haja uma ou outra maiorzinha. Boa parte das historinhas são do mesmo tipo que a gente ouve contar aqui, no Brasil, ou aqui em Pernambuco, em uma noite na fazenda, no sítio, ou mesmo na cidade, quando a gente começa a falar de histórias de malassombro. É a avó morta que vem ajudar a neta, é o marido morto que vem pedir para ser enterrado, é a pessoa que morreu e não sabe, é a pessoa que se encontra em um limbo entre a vida e a morte, e por aí vai. Algumas histórias não tem pé nem cabeça, ou eu não tive a capacidade, ou a paciência, de querer tirar algum significado delas. Perda de tempo.